Resenha | Dois a Dois de Nicholas Sparks @EditoraArqueiro

Com uma carreira bem-sucedida, uma linda esposa e uma adorável filha de 6 anos, Russell Green tem uma vida de dar inveja. Ele está tão certo de que essa paz reinará para sempre que não percebe quando a situação começa a sair dos trilhos.
Em questão de meses, Russ perde o emprego e a confiança da esposa, que se afasta dele e se vê obrigada a voltar a trabalhar. Precisando lutar para se adaptar a uma nova realidade, ele se desdobra para cuidar da filhinha, London, e começa a reinventar a vida profissional e afetiva – e a se abrir para antigas e novas emoções.
Lançando-se nesse universo desconhecido, Russ embarca com London numa jornada ao mesmo tempo assustadora e gratificante, que testará suas habilidades e seu equilíbrio emocional além do que ele poderia ter imaginado.
Em Dois a dois, Nicholas Sparks conta a história de um homem que precisa se redescobrir e buscar qualidades que nem desconfiava possuir para lutar pelo que é mais importante na vida: aqueles que amamos.

Como não se apaixonar por esta capa fofa gente? Assim que eu bati os olhos nela eu pensei: é por este aqui mesmo que eu vou começar a ler Nicholas Sparks. A minha estreia com uma obra do autor foi uma delícia e fluiu tão bem que eu nem senti o tempo passar. Eu sempre me interesso por livros que trazem o tema casamento em crise, quando tem crianças interpretando papéis de destaque e quando a narração é masculina. No caso deste aqui temos os três elementos de uma só vez, então nem preciso dizer que comecei a leitura com as expectativas lá nas alturas. Só tenho a dizer que eu não me decepcionei e que esta história foi mesmo surpreendente. Não espere um romance arrebatador e nem muitos diálogos entre os personagens porque ele é inteiro narrado pela perspectiva de Russ, tanto os fatos presentes como alguns do seu passado. É um enredo realista que mostrou as inseguranças de um personagem como profissional, pai, marido, filho e homem. Um protagonista romântico em sua essência, sonhador, dono de um caráter sem igual e que me conquistou logo nas primeiras linhas.

Tudo começa com ele nos contando como foi receber a notícia de que a esposa Vivian estava grávida, apesar de esperada, a gravidez foi rápida considerando o pouco tempo que ele tinha se casado e além de feliz com esta notícia, Russ também se preocupa com o futuro. Os próximos capítulos mostram que esta preocupação não era sem motivo já que depois de ter o bebê, Vivian decide parar de trabalhar para cuidar da filha. A renda do casal então cai drasticamente porque Vivian ganhava o equivalente a Russ e por isso ele tem que se desdobrar para manter a família confortável. Os anos se passam e Russ sente que a esposa está esgotada e cada vez mais irritada por só ficar em casa cuidando de London, uma coisa que ela escolheu. Russ faz de tudo para ajudar, contrata empregada, babá, faz com ela tenha tempo para si mesma e consequentemente para o marido e quanto mais ele faz, mais parece não ser suficiente. Vivian nunca está satisfeita com nada, é tremendamente egoísta e fútil, só se preocupa consigo mesma e com London, deixando o relacionamento com o marido em segundo plano.

O casal parece estar indo bem em alguns momentos, mas só parece. Russ a cada dia não sabe o que esperar de Vivian que uma hora se comporta como a mais dedicada e apaixonada das esposas e na outra como uma completa estranha. Russ sai do emprego por diversos problemas e não recebe o apoio dela para iniciar um negócio próprio, pelo contrário, Vivian continua gastando o que não tem, querendo tudo do bom e do melhor e as economias do casal vão diminuindo dia a dia. Até que Vivian decide voltar ao mercado de trabalho quando a filha completa cinco anos e o casamento vai por água abaixo de vez. Vivian deixa Russ sozinho para administrar a casa, a educação da filha e o novo negócio que parece que não vai dar certo.

Duas verdades nesta história, a primeira é que o casamento não é feito por uma pessoa só e apenas Russ fazia de tudo para agradar a esposa, demonstrava seu amor por ela e lutava para que o casamento durasse. A outra verdade é que as pessoas nos tratam do jeito que permitimos ser tratados e Russ deixou a esposa fazer o que bem entendesse sem considerar seus sentimentos, perdendo o respeito dela e quase que o respeito próprio. E eu que sempre evitei ler um livro do Sparks por medo de chorar, ou de que o autor matasse alguém, ironicamente fiquei torcendo para que a Vivian morresse. Horrível este desejo mesmo para um personagem eu sei. Não, eu não sou uma pessoa má, mas que mulher intragável!!

Eu nunca senti tanta raiva de uma protagonista, na verdade, no começo eu sentia muita raiva do Russ também porque em muitas ocasiões ele tinha aquela intuição de que o seu casamento estava afundando e resolvia fechar os olhos, optava por se calar ao invés de tomar uma atitude concreta. Ao mesmo tempo, eu entendia as dificuldades de se dialogar com uma pessoa tão difícil. Vivian era aquele tipo de mulher que faz drama, que sai batendo os pés e as portas e fecha os ouvidos para qualquer conversa.

Um pai não vem com manual de instruções e como pai de primeira viagem Russ foi simplesmente maravilhoso! Ele amou tanto e era tão amado pelo filha que me comovo só de escrever este parágrafo. London era tão perfeita em tantos sentidos que isto foi essencial para que Russ seguisse em frente em meio a dor da separação. Ele cometeu erros e acertos como pai, teve momentos de angustia, de descobertas e de muitas alegrias ao lado da filha e tudo isto foi muito mais do que eu podia esperar com esta leitura. Russ também cresceu como homem, começou a cuidar de si mesmo resgatando sua auto estima, conseguiu se encontrar na carreira e também ganhou uma segunda chance de ser feliz no amor da forma mais inesperada e incrível que eu já li em um livro.

Quem nunca assistiu o filme “A Procura da Felicidade", fica a dica. Assisti dezenas de vezes e identifiquei algumas semelhanças em relação as duas tramas: o amor incondicional e os diálogos honestos entre pai e filho, o fato de um pai estar com o filho nos momentos bons e ruins, o medo de um pai em perder a guarda da criança, a inteligência de uma criança em suas respostas e atitudes, a decepção de um homem com a esposa que saiu de casa sem pensar duas vezes e o fato de que Russ também correu atrás do sucesso no trabalho sem descanso para evitar a falência. A grande diferença é que Russ ainda tinha dinheiro, tinha casa e o apoio dos pais, irmã e amigos nesta jornada. Mesmo que houvesse mais dias ruins do que bons, Russ nunca perdia a fé e eu vibrei junto com ele em cada pequena conquista.

É claro que fiquei esperando também pelo momento da reviravolta com uma ansiedade sem tamanho e esta se dá em quase 85% do livro. Daí pra frente não é possível segurar a apreensão e nem as lágrimas. Era e não era o que eu esperava, eu simplesmente senti que seria daquele jeito. Há muito tempo os livros do Sparks estavam na minha mira e eu queria ler para poder conhecer de fato a escrita do autor, para falar com propriedade sobre ela. Percebo que há um preconceito sobre os romances dele até de quem não leu. Eu resolvi deixar o meu próprio medo de lado, pois sempre acreditei que você não pode dizer que não gosta de algo sem experimentar. Por este livro eu posso dizer que o autor faz jus a fama que tem, ele escreve de uma forma que parece que você conhece o personagem de verdade, o drama estava presente em boa parte do enredo, mas o humor também não ficou de fora. O pontos altos são as mensagens nas entrelinhas e as mensagens óbvias que Sparks procura deixa para o leitor.

Suas obras pelo que que vi em alguns filmes e agora percebo por este livro são reais e na vida real não acontece nenhum milagre. Inevitável então o choro, a revolta porque as coisas não saíram exatamente como você queria. A vida é assim infelizmente. Vale muito, mas muito a pena esta leitura, eu amei o desfecho e pretendo ler os outros livros do autor em algum momento com toda a certeza. São tantas coisas extraordinárias que eu poderia destacar aqui que daria para escrever outro li livro, mas não posso deixar de mencionar a relação única e especial de Russ com a irmã que foi mais do que impressionante. Dois a Dois é cativante do início ao fim, fala de amor em todas as suas formas, o amor de pai, de irmão, de filho, de tio, de um homem para uma mulher e principalmente, fala do amor pela vida. Sensacional!!!

Onde Comprar: Saraiva Cultura Amazon

Comente com o Facebook

Um comentário

  1. Olá Diana!
    Eu sou fã do autor e já li todos os livros dele. Esse, com certeza, foi um dos melhores :)
    Adorei a história real e como foi trabalhado a relação pai e filha, sensacional ❤️
    Agora a Vivian, senhor! Que personagem difícil de engolir.
    Parabéns pela resenha, beijos!

    Books & Impressions

    ResponderExcluir

- Seu comentário estará visível depois de aprovado
- Comentários ofensivos e preconceituosos não serão aceitos.
- Não forneço livros em PDF, por favor não comente se for para fazer esta solicitação. Comentários deste tipo serão excluídos.