Lançamentos

Ver mais...

Resenhas

Ver mais...

Literatura Nacional

Ver mais...

Variedades

Ver mais...

Adaptações

Ver mais...

Leituras do Mês

Ver mais...

Resenha | Sway de Kat Spears @GloboAlt

13.10.16


Sway é o apelido de Jesse Alderman, por causa de seu talento para conseguir qualquer coisa para qualquer pessoa, como providenciar trabalhos escolares, fazer com que pessoas sejam expulsas da escola, arrumar cerveja para as festas, entre outras coisas, legais ou ilegais...
É sabendo dessa fama que Ken Foster, o capitão do time de futebol da escola, pede a ele um trabalho controverso:
Ken quer que Bridget Smalley saia com ele.
Com seu humor ácido e seu jeito politicamente incorreto de ver a vida, Sway terá que encarar o trabalho mais difícil que já teve: sufocar todos os sentimentos que Bridget desperta nele, a única menina verdadeiramente boa que ele conheceu em toda a sua vida.


A sinopse deste livro me conquistou na hora, não costumo ler, por isso acabei passando esta leitura na frente de tantas outras. O prólogo atiçou ainda mais a minha curiosidade, então eu não podia fazer mais nada enquanto não chegasse às últimas linhas. O Jesse é “o” cara. Aquele que resolve os problemas de todo mundo e todos se aproveitam de alguma forma desta habilidade dele de conseguir as coisas.


Para ele nada é impossível, arruma as drogas para as festas, uma namorada gata para o melhor amigo, ajuda outro a ser popular, a melhor amiga a se livrar de uma cara abusivo e, acreditem, até o diretor da escola pede ajuda para se livrar de um aluno delinquente que está acabando com a sua autoridade. Quando Ken Foster, o capitão do time de futebol, pede ajuda para sair com uma garota que ele quer conquistar, Jesse imagina que é só mais um "trabalho" como outro qualquer, até conhecer Bridget e se apaixonar por ela.
"Bridget é a pessoa mais amável e efusiva que Deus já fez."
Sway é jovem adulto contemporâneo cativante, mas não espere uma bela história de amor com um final feliz de encher os olhos. Se está procurando um clichê fofo, este livro não é para você. Nada é clichê neste livro, quase tudo que eu torcia para acontecer, para minha infelicidade acontecia totalmente o oposto. Aqui você tem personagens reais, com dores reais e muitas vezes eles vão falar e fazer coisas das quais você vai se identificar e ao mesmo tempo ficar chocado.

Inteiramente narrado pelo ponto de vista de Jesse que está no último ano do ensino médio, os diálogos são inteligentes, engraçados e espirituosos. O Jesse não tem papas na língua e antes de se apaixonar pela primeira vez e entregar de mão beijada a garota para um tremendo idiota, só pensava em si mesmo. Amar alguém como a Bridget faz com que ele perceba o mundo a sua volta, queira ser uma pessoa melhor, no entanto, na vida real ninguém muda de uma hora para outra e os erros que ele cometeu ao longo do caminho vem para cobrar o seu preço.

Ele é espancado pela vida literal e metaforicamente falando. Ele foi apelidado de Sway e o significado que mais se encaixa no caso dele em minha opinião é manipulador. Apesar de todos dizerem que Sway não é algo que se defina, ele tem uma inteligência fora do comum para manipular as pessoas e situações de acordo com os seus interesses.


O mantra de Jesse é: "Nada é bom ou mau, o pensamento é que tornam as coisas assim". O fato é que ele toma atitudes condenáveis, mas também tem um coração de ouro e faz coisas legais. O melhor de tudo é que ele não se vangloria delas e prefere que ninguém saiba que foi ele o responsável. Tá aí a beleza de tudo. O romance entre Jesse e Bridget não é o foco desta trama, pelo contrário, mesmo que Bridget seja essencial para que Jesse tenha um crescimento emocional é a amizade que ele começa a cultivar com Pete o que mais chama a atenção.

Pete é o irmão de Bridget. Ele tem paralisia cerebral e assim como a irmã, também percebe que por trás desta fachada cínica e arrogante de Jesse existe alguém que merece uma segunda chance. O Pete é um jovem surpreendente e merecia um livro só para ele. Esta é uma leitura rápida e cheia de mensagens diretas e outras nem tanto, destaca o preconceito e o bullying e é aquele tipo de livro que você tem quem ler para tirar suas próprias conclusões. Amei a playlist incrível que vai de Mozart até Justin Bieber. Clique Aqui e aumenta o som.

Comentários
2 Comentários

2 comentários

  1. :O :O Socorroooooooooooo...
    Diiiiiiiiii estou super curiosa para ler este livro. Ai venho aqui, como quem não quer nada ler sua resenha e MORRI. Amoooo enredos assim, o cara vai lá ajudar o outro a conquistar a garota e quando se dá conta é ele que está apaixonado. Você conseguiu me deixar roendo os dedos. Beijooooooooooooooos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade, não é bem uma ajuda, ta mais para um serviço... heheheh, afinal o cara pagou para isso. Mas ele realmente não imaginava se apaixonar pela garota....

      Excluir

- Seu comentário estará visível depois de aprovado
- Comentários ofensivos e preconceituosos não serão aceitos.
- Não forneço livros em PDF, por favor não comente se for para fazer este tipo de solicitação.

No Instagram

Copyright © 2017 Meu Vício em Livros | Todos os direitos reservados | Design e desenvolvimento: J.A Layouts