Lançamentos

Ver mais...

Resenhas

Ver mais...

Literatura Nacional

Ver mais...

Variedades

Ver mais...

Adaptações

Ver mais...

Leituras do mês

Ver mais...

[Irmandade das 13] Histórias de Arrepiar - Especial Halloween!

31.10.15

Vamos a última postagem do especial Irmandade das 13!

Aos que não sabem, a Irmandade das 13 reuniu 13 leitoras que, durante esta última semana de outubro, veio trazer a vocês o melhor do terror! 'Bora falar sobre acontecimentos assustadores que inspiraram o cinema do terror e são reais? – brrrrr… só de pensar, já sinto arrepios!


Filmes e livros de terror, por todo o cenário que trazem, podem fazer com que até mesmo os mais corajosos sintam um certo medo. Isso acontece mesmo quando sabemos que muitas das histórias não passam da imaginação do autor ou de lendas urbanas que são levadas para as páginas ou telas. 


Mas o que muitos não sabem ou preferem não acreditar… 
é que algumas histórias de terror são baseadas em fatos reais


E existem, ainda, acidentes ou situações estranhas que aconteceram durante as filmagens de grandes clássicos do terror!

Convidamos vocês para conferirem de perto esses relatos que, por mais inacreditáveis que possam aparecer, são reais.


Quando o psicopata existe


Edward Theodore Gein poderia ser um nome comum. Aliás, poderia ser um homem comum. Popularmente conhecido como Ed Gein, esse cara simplesmente mudou a história dos filmes de terror. E não, ele não é nenhum escritor, diretor ou cineasta. Ele foi o psicopata que inspirou a criação dos personagens mais conhecidos dos cinemas: Leatherface (O Massacre da Serra Elétrica), Norman Bates (Psicose) e Buffalo Bill (O Silêncio dos Inocentes).


Ed Gein
Nascido em 1906, Ed era um garoto muito tímido. Tinha déficit de atenção e sofria bullying na escola devido ao seu jeito que mais lembrava a uma menina. Morava em uma fazenda, e sua família era considerada de respeito na cidade.

Sua mãe era extremamente rigorosa e autoritária, além de uma verdadeira fanática por religião. Ela considerava TODAS as mulheres prostitutas, e proibia Ed de se relacionar, mesmo como amigo, com qualquer uma delas.


Em 1945, sua mãe faleceu. Não tendo nenhum parente vivo (seu pai e irmão morreram muito antes de sua mãe), já com 39 anos, se viu completamente sozinho. E, talvez, a falta da mãe misturada à solidão despertou o que havia de pior em Ed.


Crânio usado por Ed para tomar sopa.
Em 1957, a polícia acabou atribuindo o nome de Ed como suspeito no desaparecimento de Bernice Worden. Ao chegarem à sua propriedade, após a revista, os policiais se depararam com o verdadeiro terror. Eles encontraram máscaras feitas de pele humana; abajur e estofados encapados com pele humana; crânios humanos enfeitando sua cama e inclusive servindo como tigela; um cinto feito com mamilos humanos; vaginas dentro de uma caixa; e muitos relatos apontam vestígios de canibalismo, já que se tem depoimentos de que na geladeira de Ed havia vísceras. Um relato aponta ainda que, no dia da revista policial, um coração humano estava sendo preparado no forno.

Ed confessou que cometeu dois assassinatos, portanto, ele não é considerado um serial killer. As partes humanas que foram encontradas em sua propriedade eram de cadáveres que ele desenterrava. Os corpos eram de mulheres de meia-idade que lembravam muito a sua mãe. Ed declarou ainda que, após a morte da mãe, queria trocar de sexo. Por isso ele teria criado uma “roupa de mulher” com restos mortais para fingir ter se tornado uma.

Morreu em 1984, de complicações devido a um câncer. Sua lápide foi vandalizada e chegou a ser roubada no ano de 2000, mas foi recuperada no ano seguinte. Hoje se encontra num museu em Wautoma.


Exorcismos reais


A história do filme tido como mais tenebroso do cinema, O Exorcista, foi baseada num fato real.

Na realidade, não temos uma menina possuída, mas sim um menino. A Igreja nunca divulgou o nome real da criança, assim ficou popularmente conhecido por seu pseudônimo Robbie.

Nossa história se passa na década de 1940. Filho de pais católicos e devotados, Robbie passava seus dias na companhia de seu tio e tutor Harret. Devido à Segunda Guerra Mundial, o garoto era privado de diversão com outras crianças.

Harret era espírita e presenteou o sobrinho com uma tábua Ouija. Temos um impasse a partir desse ponto. Alguns relatos apontam que Robbie, a partir do momento que tivera o presente em mãos, passou a ficar atormentado. Constantemente tinha pesadelos, e os pais começaram a perceber barulhos estranhos em seu quarto. Outros relatos nos contam que o garoto passou a ser atormentado quando o próprio tio falecera e começou a entrar em contato através do instrumento.

De qualquer forma, o fato foi que Robbie apresentou um comportamento muito estranho e os eventos, que já eram bizarros, ficaram ainda piores. Móveis eram movidos com brutalidade; quadros se movimentavam sozinhos... Como Robbie ficara nervoso e rebelde, os pais decidiram procurar auxílio psiquiátrico. Os resultados dos exames não apontaram nenhuma anormalidade, assim sendo, decidiram procurar ajuda na fé.

Em um dos acessos de raiva de Robbie, seus pais tiveram que amarrá-lo junto à cama. Rezando, colocaram na cabeceira do móvel um vaso com água benta. O garoto conseguiu quebrá-lo com a força de seu pensamento. E, nesse ponto, seus pais finalmente concluíram que alguma força maligna e sobrenatural se apossara de seu menino.

Começou então uma grande saga. Primeiro a família contatou o pastor Luther Miles Schulze. Este também buscou apoio na medicina, contatando médicos, psicólogos e psiquiatras; tudo em vão. O pastor, então, presenciou fatos estranhos quando levou Robbie para dormir em seu dormitório: móveis e cobertores mudavam de lugar; rachaduras surgiam nas paredes; móveis eram arremessados contra a parede. Isso o levou a considerar o caso como sendo de possessão. Shulze convidou o padre Edward Hughes para que fizesse um exorcismo em Robbie.

Tal exorcismo fora totalmente infeliz, o padre ficou gravemente ferido; e o corpo de Robbie tinha ferimentos que formavam as palavras inferno e satan.

Os pais, desesperados, procuraram a ajuda do padre Raymond J. Bishop e do reverendo William S. Bowdern. Ambos os representantes da Igreja Católica concluíram que era um caso que necessitava de um exorcismo. Foram trinta dias de trabalho até que Robbie acordasse totalmente ileso e sem memória dos últimos eventos.

Já o longa O Exorcismo de Emily Rose foi baseado na história real de Anneliese Michel.

Anneliese era uma garota alemã comum. Em um dia qualquer, na escola, sofrera uma convulsão. E a partir de então, as convulsões não cessaram mais.

Outros fatos curiosos deram início. Anneliese sempre fora muito religiosa, porém, durante suas orações, passou a enxergar figuras demoníacas. Isso a levou a ter aversão por tudo que lembrasse religião.

A garota ainda ouvia vozes sobre estar amaldiçoada. Caiu numa profunda depressão e via o suicídio como uma saída. A família buscou apoio médico e, ao contrário do primeiro caso, Anneliese foi diagnosticada com esquizofrenia.

Numa procissão, uma idosa percebeu que a menina evitava passar próximo a uma imagem de Jesus, e assim concluíram que ela estava possuída. A família deixou o tratamento médico e deu início ao ritual de exorcismo.

Tais rituais eram realizados principalmente pelo padre Arnold Renz e o pastor Ernst Alt . O quadro ficava cada vez pior, as alucinações tomaram conta da garota. Durante os rituais, ela rasgava suas roupas, urinava, bebia sua própria urina, comia insetos e cabeças de pássaros.

Foram aproximadamente dez meses de sofrimento sem nenhum resultado. Anneliese estava muito debilitada, não se alimentava. Declarava que estava possuída por Lúcifer, Caim, Hittler, Nero e outros espíritos malignos que assombraram a humanidade.


 
Anneliese antes e depois.


Anneliese veio a óbito e tanto seus pais quanto os responsáveis pelo exorcismo foram condenados por negligência.



Maldições dentro dos filmes


Existem vários outros filmes baseados em fatos reais. Ficaríamos dias apenas falando deles. Mas não podemos deixar de citar algumas das maldições que ocorreram durante as gravações de grandes sucessos do gênero. Trouxemos os casos mais perturbadores.



Antes mesmo do lançamento, pelo menos nove pessoas ligadas – direta ou indiretamente – ao filme morreram.

O set das filmagens pegou fogo inexplicavelmente. Apenas o quarto onde seria filmado o exorcismo ficou intacto.

Dois carpinteiros da equipe de montagem do set sofreram graves acidentes no trabalho. Um cortou metade da mão e o outro serrou o dedão do pé.




Poltergeist é uma trilogia de terror dos anos 1980, considerada ícone do gênero. O primeiro filme foi lançado em 1982 e suas sequências em 1986 e 1988, respectivamente.

Dominique Dunne interpretava a filha mais velha da família Feeling: Dana Feeling. Seu namorado era extremamente possessivo e ciumento. Com o aumento da fama da atriz, as coisas pioraram em seu relacionamento. Dominique colocou um ponto final na relação e o, então, ex-namorado a estrangulou. A atriz ficou em coma por alguns dias, mas não resistiu. Há relatos de que, para encobrir o barulho do estrangulamento, o rapaz colocara a trilha sonora do primeiro filme em volume máximo.

Julian Beck interpretava o reverendo Henry Kane. O ator lutava contra um câncer desde 1983. Em 1985, perdeu a batalha, falecendo durante as gravações do segundo filme.

Will Sampson interpretava o índio Taylor. Morreu logo após o lançamento do segundo filme, devido a complicações de uma cirurgia cardíaca.

A morte de Heather O’Rourke, que interpretou Carol Anne, foi a que mais chocou. A atriz mirim faleceu com apenas 12 anos, logo após as filmagens do terceiro filme. Ela foi diagnosticada com uma infecção intestinal e, depois de ser levada ao hospital devido a um desmaio, sofreu uma parada cardíaca e veio a óbito.

Dizem que a equipe do filme utilizou esqueletos de verdade para as cenas, já que o orçamento sairia mais barato. Com isso, a maldição que ronda o filme estaria explicada.

Na cena em que Oliver Robins, ator que interpretou Robbie (filho do meio do casal Feeling), é sufocado pelo palhaço, inexplicavelmente ele estava sufocando de verdade. Quase morre em meio à cena, sua sorte foi a equipe perceber que havia algo errado.




Considerado o filme mais amaldiçoado da história dos cinemas, coleciona tragédias.

Os principais atores do filme sofreram um terrível acidente de carro ao viajarem para gravar algumas das cenas.

Os cães que aparecem na história começaram a atacar seus próprios treinadores. O diretor, Richard Donner, foi quase morto por eles.

O hotel onde Richard estava hospedado foi bombardeado de forma inesperada. A partir de então, o diretor acreditou que havia algo errado e passou a andar com um crucifixo no pescoço.

O técnico de efeitos especiais criou uma cena para o filme, onde ocorre uma decapitação em câmara lenta. Durante uma viagem, ele e sua namorada sofreram um acidente de carro, e o técnico presenciou a cena que criara, na vida real: sua namorada morreu de maneira semelhante à cena do filme.





O ator Brandon Lee, filho de Bruce Lee, morreu durante as gravações de uma cena para o filme. Nela, uma arma seria usada para atirar contra ele. O que ninguém sabe é como uma bala de verdade foi parar ali. Brandon teve seus órgãos internos perfurados e não resistiu. Mesmo assim, o filme foi ao ar.




O diretor, Roman Polanski, contratou um grupo satanista real para a cena em que Mia Farrow é estuprada pelo demônio.

Sua esposa estava grávida de oito meses quando foi assassinada a facadas, há pouco mais de um ano após o lançamento do filme. Dizem que o assassino era seguidor do grupo que Polanski contratou.

O crime ficou conhecido como Helter Skelter, nome de uma música dos Beatles. Coincidentemente, onze anos depois, um integrante da banda foi assassinado em frente ao prédio que morava. O prédio era o mesmo onde se passava a trama do filme.




O que acharam dessas Histórias de Arrepiar?
Se os filmes já nos assustam, pensar no que acontece por detrás deles pode nos fazer perder o sono definitivamente (rs). Vocês já conheciam esses relatos? Ou conhecem algum outro que não está entre os selecionados? 
Adoraríamos saber! 
Deixe seu comentário.






Vocês tem até o fim do dia para enviar suas respostas.

Preencham o Formulário de Sobrevivência e fiquem de olho!!

Não esqueçam que ainda tem o sorteio de 23 livros para três vencedores, válido até hoje!!!







 Acompanhem a programação na página Irmandade das 13






Comentários
5 Comentários

5 comentários

  1. Nossa fiquei super comedo dessas imagens aterrorizantes, sou muito medrosa, odeio filmes de terror, pelo fato de que para mim e muito real, mas respeito muito quem gosta e curti esse tipo de gênero.

    ResponderExcluir
  2. Eu já sabia de alguns fatos, mas é muito assustador saber que alguns relatos podem ser verdade :o eu não gosto de filmes de terror, então ler esse post foi meio complicado kkkkkkkkk para os amantes do terror de plantão, espero que tenham gostado de saber!
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Diana,certamente com terror até os mais corajosos sentem um certo medo.Realmente relatos reais estranhos e terríveis.Mas tudo ,ás vezes se inicia de uma vida familiar desestruturada,sei que não justifica ,mas no caso por exemplo esse Ed,acredito que tenha sido a mola propulsora,alguns dos outros casos,já tinha ouvido falar,realmente são tristes.Mil beijinhos!!!

    ResponderExcluir
  4. Olá
    eu já conhecia a maioria dessas histórias,e realmente bate aquele medinho quando eu comecei a ler esse post, rsrs. Tem coisa mais pior do que você vê um filme de terro e já de inicio vem aquelas letrinhas duzinferno dizendo: Baseado em Fatos reais. rsrs, não tem!!
    Bjks

    ResponderExcluir
  5. Diana, eu não imaginava que todos estes filmes aterrorizantes fossem inspirados em pessoas reais, cruéis e macabras.Estou completamente chocado com todas as cenas expostas e mencionadas no texto, a existência de Edward Theodore Gein, os exorcismos, o contrato de um satanista... Tudo inimaginável.

    ResponderExcluir

- Seu comentário estará visível depois de aprovado
- Comentários ofensivos e preconceituosos não serão aceitos.
- Não forneço livros em PDF, por favor não comente se for para fazer este tipo de solicitação.

No Instagram

Copyright © 2017 Meu Vício em Livros | Todos os direitos reservados | Design e desenvolvimento: J.A Layouts