Lançamentos

Ver mais...

Resenhas

Ver mais...

Literatura Nacional

Ver mais...

Variedades

Ver mais...

Adaptações

Ver mais...

Leituras do Mês

Ver mais...

[Resenha] Redenção e Submissão, Trilogia Redenção Livro 2 de Nana Pauvolih @EditoraRocco

12.8.15

Quando dois dominadores se enfrentam em uma extasiante batalha por poder, render-se pode ser o maior triunfo.
Matt, como Matheus gosta de ser chamado pelas amigas, é um dominador fora do comum. A cara de bom moço, o romantismo e suas boas maneiras mascaram seu lado mais sombrio, que adora submeter e ter uma mulher suplicando sob suas ordens. Mestre em shibari, uma complexa técnica oriental de bondage, e especialista em chicotes longos, que exigem muita perícia, ele conhece como poucos as melhores técnicas de dominação.
Sophia se orgulha de ter conquistado sozinha seu lugar no mundo. É agressiva sexualmente, dominadora e dona de si. Mas seu ar atrevido e mandão esconde um trauma do passado. Ela jurou jamais se deixar enfraquecer por amor novamente e não permite que ninguém se aproxime demais. Entregar-se completamente a um homem nunca esteve nos seus planos.
Ela é exatamente o oposto de tudo que ele procura em uma mulher. Ele pode representar a ruína de tudo que ela sempre protegeu. Sem que percebam, Matt e Sophia se veem escravizados por um desejo absoluto que pode destruir ou salvar os dois.
O segundo romance da trilogia Redenção fará você implorar por mais, enquanto mergulha fundo no universo repleto de erotismo da escritora Nana Pauvolih.
Há muito tempo queria dar minhas impressões sobre este livro. Quem leu o primeiro da trilogia já conhece o anjinho aqui né? Quem ainda não leu precisa resolver isso urgentemente. Já citei várias vezes como sou fã da autora e como todos os livros dela são viciantes. Este aqui não foi diferente, já li e reli várias vezes e sempre que volto aos meus trechos favoritos sinto a mesma emoção.

Em Redenção e Submissão temos duas pessoas lutando pelo domínio de uma relação, literalmente. Os dois são verdadeiros dominantes no mundo BDSM e com isto possuem limites rígidos que não ousam quebrar. Mesmo opostos aos parceiros que cada um procura, ambos ficam abismados com a tamanha atração e a química surpreendente que surge instantaneamente entre eles.

Sophia é uma mulher linda, independente, dona do seu destino, forte e tem cicatrizes de um passado traumático. Passado este que levou-a pensar e agir de forma cínica com relação ao amor e aos relacionamentos. Também é super vaidosa e apaixonada por sapatos (gasta mais da metade do salário neles, quem se identifica?). Viveu a vida fugindo de si mesma e de seus sentimentos. É uma lutadora, mas medrosa quando se trata de questões sentimentais. Não aceita ordens e restrições e quando conhece Matt, tudo que ela nunca sentiu antes vem a tona.

Ela me conquistou na hora, acredito que foi uma das protagonistas femininas mais incríveis que a Nana já criou. Pode ser que em um primeiro momento você se assuste, talvez você não vá gostar e nem torcer por ela devido a sua personalidade fria e calculista, que fica evidente logo de cara. Ela não tem nada das mocinhas que estamos acostumadas a ver por aí. Não é frágil e nem consente ser humilhada, mas no decorrer do enredo, você vai descobrir os motivos que a levaram a ser o que é e perceber que na verdade ela é uma guerreira digna de palmas. Não tem medo de tomar a iniciativa é bem resolvida sexualmente e também vai provar que é uma leoa na hora de defender seu homem quando ele mais precisa dela.

Matt aos 32 anos é bem sucedido, mestre em Shibari e diversas técnicas de dominação além de sócio de um clube privado. Engana bem com a sua aparência terna em meio a dureza e perversidade que mostra na cama. Os dois se conhecem no clube e após um pequeno embate que não leva a nada, descobrem dias depois que também vão ter que dividir o cenário profissional, passando muito tempo juntos.
"Mesmo gostando de dominar, ela me deixava doido como nenhuma mulher conseguiu. E eu faria tudo por ela."
O que me encanta em primeiro lugar nesta história são os diálogos do casal. Os argumentos que eles usam para tentar convencer quem vai dominar quem chegam a ser hilários. Os dois são inteligentes, cada qual com sua experiência e não tem inibições e nem frescuras quando o assunto é sexo. São dois adultos que colocam as cartas na mesa sobre seus desejos, sem jogos, levando a sério o estilo de vida que escolheram.
"Por qual motivo mesmo a gente não pode ir para a cama? - Somos dois dominantes.  Relembrei-a, - Ah, é... lambeu os lábios. - Que merda!"
Outra coisa que eu amo é que Matt trata Sophia como igual, apesar de ser um dominante nato, ele não se impõe, não é convencido, respeita os limites dela e aceita o relacionamento sem tentar moldar definitivamente sua essência. Apesar de ser um livro que vai tratar do tema BDSM, não torça o nariz não, leia que não sabe o que está perdendo! Você vai conferir aqui as melhores, mais sensuais e mais quentes cenas "baunilhas" já escritas em um romance. Matt e Sophia são explosivos!

Com o ponto de vista intercalados entre os capítulos e com algumas cenas que mostram o que podemos esperar da sequência com a história de Antônio e Cecília e também deixando que a gente mate a saudade de Arthur e Maiana (Redenção de um Cafajeste) que não poderiam estar mais felizes, Nana Pauvolih conseguiu manter a personalidade do personagem já construída no livro anterior, mostrando várias outras facetas deste homem que nos faz amá-lo ainda mais.
"Naquele momento, em que disse que me amava, todo o resto deixou de ter importância. Eu me dei conta que só importava estar ao seu lado e me entregar a ele. Mas ainda estava assustada."
Quando pensam que a relação não dará certo de jeito nenhum, Matt e Sophia conseguem encontrar um equilíbrio e cedem ao desejo incontrolável. Fascinada pelo homem lindo e com olhar de anjo que abala suas estruturas, Sophia decide abandonar seus medos e arriscar tudo pela primeira vez na vida.


Entre tapas e beijos, lutas pelo poder, arranhões e luxuria sem limites, estes dois vão experimentar sentimentos que o deixarão embriagados e uma nova forma de prazer. A única maneira que Matt vai encontrar de derrubar as defesas desta mulher é fazendo com que ela confie nele. Ele decide conquistá-la aos poucos, até conseguir ultrapassar os muros que ela coloca entre os dois.

Simplesmente perfeito! O final não podia ser diferente e foi um desfecho para o qual eu torci desde o começo. Para mim não havia outra mulher ideal para o Matt, eles nasceram para ficar juntos. Eles descobrem que tudo é uma questão de entrega e confiança e o amor intenso deles faz tudo dar certo.

Juntos eles vão aprender a ceder e abrir mão de certas coisas em prol de algo maior, a compensação para tudo isto virá na forma de uma felicidade imensa e plena. Eu sou apaixonada por este livro! Matt é romântico, protetor, cavalheiro, companheiro, inteligente, lindo, fiel, poderoso e gostoso! O que mais uma mulher pode querer? Sophia é uma sortuda e Matt também, ela é uma mulher única. Enfim... um casal bombástico e inesquecível! 



Comentários
19 Comentários

19 comentários

  1. Olá Dih
    eu curti muito a sua resenha do segundo livro, essa capa ficou mais legal do que a primeira, mas eu acho que nunca leria
    Bjks

    ResponderExcluir
  2. Diana,apesar de não gostar muito desse temaBDSM,você descreveu a estória desse casal Matheus e Sophia com um teor romântico,principalmente no final quando eles cedem e descobrem que nasceram um para o outro,ou seja se amam de verdade e deixam cair as resistências se entregando totalmente.Amei a resenha.Beijos!!!

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Conheci a Nana em um evento literário e desde então quero muito ler o primeiro livro da série!
    Ainda não tive oportunidade, mas está na minha lista de desejados!
    Adorei sua resenha sobre o livro 2, tô bem curiosa!
    Beijos!

    www.livrosdajess.com

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Tenho muita curiosidade de conhecer a escrita da Nana, tão elogiada por todos.
    Esse livro já conquista pela capa e sua resenha conseguiu me convencer a lê-lo.
    Fiquei bastante curiosa para conhecer a série, mas antes preciso ler o primeiro livro.
    Beijos.

    Li
    Literalizando Sonhos

    ResponderExcluir
  5. Resenha muito boa, pensei que a história do livro não fosse puxada tanto pro lado do livro 50 tons de cinza, não gosto muito disso, fiquei um pouco decepcionada com a história, pensei que era diferente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tem nada a ver com 50 Tons Lana, como eu disse a personagem é forte e intensa, a escrita da Nana é única e o casal teve um relacionamento de igual para igual, muito bom!

      Excluir
  6. Caramba que resenha é essa mulher!?
    Não pegaria o livro para ler, mas a sua resenha me instigou que acho que vou abrir uma exceção hahaha
    http://odiariodoleitor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. quero adoro https://www.facebook.com/vanda2310/posts/952863654736512?pnref=story

    ResponderExcluir
  8. Olaa
    Ótima resenha mas o livro não é um dos meus gêneros favoritos, mesmo assim é uma ótima dica.

    Beijos
    Reality of Books

    ResponderExcluir
  9. Nossa, só o título já basta para eu querer passar bem longe desse livro uahuahuahua. Eu definitivamente não gosto de livros eróticos. Mas que bom que você gostou do livro e se apaixonou pelos personagens

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir
  10. Oi Diana, tudo bem? A sua resenha está muito boa, mas não teria interesse em ler. Estou passando um pouco longe desses livros BDSM, em que a história praticamente só se resume em sexo. Achei interessante a Sophia ser uma mulher bem decidida em relação ao que quer, ao contrário de algumas mulheres em histórias desse tipo, mas não é o suficiente para me fazer querer ler.

    Beijinhos,

    Rafaella Lima // Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
  11. Gostei muito da resenha, mas não curto esse gênero literário.

    https://valisedepalavras.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  12. Oi, Diana! To aqui num dilema: Curti sua resenha, mas o livro em si eu deixo passar. Não curto o gênero...
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  13. Oi tudo bem?
    Eu já li comentários positivos e negativos a respeito dos livros da autora. Então ainda não tenho uma opinião formada. HAHA, não me identifiquei com a personagem, isso de comprar sapatos. Os pontos levantados por você a respeito dela me deixaram com curiosidade de ler. Gostei disso que nenhum dos dois se faz de bobinho. Depois que li Amos e Masmorras, um legítimo BDSM, eu parei de olhar torto para esse gênero.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  14. Oi, tudo bem?
    tenho muita vontade de ler essa série, mas tempo nenhum de começar novas :´(
    Adorei saber que o casal é bem construído e passa essa ideia de se completarem para os leitores, essa empatia é importante para a leitura ser agradável. E amei saber que Matt sabe ceder, e não é arrogante demais.
    beijos
    http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Eu não sei como a autora consegue dois dominantes se envolverem. Afinal, é da natureza deles né, não sei como eles podem fazer pra chegar a esse equilibrio. Enfim, gostaria de ler esse livro para ter uma ideia de como a autora desenvolve isso.

    P.S. Fico imaginando os dialogos desses dois. Kkkkk

    bju

    ResponderExcluir
  16. Oiieee

    Eu ainda não li esse livro, acabei de solicitar ele para troca no plus porque sempre vi muitas recomendações legais e como eu sou viciada nesse gênero tenho certeza que vou gostar.

    Já achei ótimo o fato de que o final te agradou, me deixou animada pela leitura.

    Beijos,

    http://www.lendoeesmaltando.com/

    ResponderExcluir

- Seu comentário estará visível depois de aprovado
- Comentários ofensivos e preconceituosos não serão aceitos.
- Não forneço livros em PDF, por favor não comente se for para fazer este tipo de solicitação.

No Instagram

Copyright © 2017 Meu Vício em Livros | Todos os direitos reservados | Design e desenvolvimento: J.A Layouts