Lançamentos

Ver mais...

Resenhas

Ver mais...

Literatura Nacional

Ver mais...

Variedades

Ver mais...

Adaptações

Ver mais...

Leituras do Mês

Ver mais...

[Resenha] Fragmentados - Neal Shusterman @novo_conceito

5.8.15

A Lei da Vida.
A Segunda Guerra Civil, também conhecida como "Guerra Hearland", foi um conflito longo e sangrento motivado por uma única questão.
Para acabar com a guerra, uma série de emendas constitucionais conhecidas como "A Lei da Vida" foi criada.
Ela satisfez tanto o exército Pró-Vida como o Pró-Escolha.
A Lei da Vida declara que a vida humana não pode ser tocada desde o momento da concepção até que a criança chegue à idade de 13 anos.
No entendo, entre os 13 e os 18 anos, a mãe ou o pai pode escolher "abortar" retroativamente uma criança...
... com a condição de que a vida da criança não tenha, "tecnicamente", um fim. O processo pelo qual uma criança é ao mesmo tempo eliminada e mantida viva é chamado de "fragmentação".
Agora, a fragmentação é uma prática comum e aceita pela sociedade.

Eu escolhi não dormir. É, acabei de ler este livro e precisava vir aqui contar para vocês. Na postagem não tem horário então vou falar, são 2:58 da manhã. Literalmente perdi o sono! O enredo é incrivel e muito original. Fiquei chocada em muitas cenas e emocionada em outras. Fragmentados é narrado em terceira pessoa, mas focando no ponto de vista de todos os personagens principais e de alguns daqueles envolvidos direta e indiretamente na execução de uma sentença.

Connor tem dezessete anos e de acordo com seus pais é um encrenqueiro. Risa com dezesseis, é uma pianista talentosa que vive em uma Casa Estadual (uma espécie de abrigo). Lev tem treze anos e é o décimo filho de uma família religiosa.  

O que eles tem em comum? Estão condenados a serem fragmentados. Através de circunstâncias que os levarão ao mesmo destino, estes três adolescentes se encontram. Em meio a esconderijos em cemitérios e fuga da polícia que tem como objetivo capturá-los e escoltá-los para o que eles chamam de local da "colheita", eles vão lutar para encontrar uma maneira de escapar e sobreviver.

Chegar aos dezoito anos nunca foi tão difícil e tão desejado. É a idade da liberdade. Chegar até lá será considerado um milagre e eles não serão mais um alvo. Tudo porque após a Segunda Guerra Civil Americana, é assinado um compromisso chamado "A Lei da Vida". Neste projeto de lei, adolescentes entre as idades de 13 aos 18 anos podem ter seus corpos "colhidos" para a doação de órgãos, a fim de dar aos outros a oportunidade para uma melhor qualidade de vida. 

Basicamente tudo começou quando, ao assinar este acordo, a guerra enfim acabou e todos estão tão felizes com isto que não se importam com as consequências desta lei sinistra. Tudo que define o certo do errado é virado de ponta cabeça. Enquanto de um lado médicos que abortam são assassinados para proteger o direito à vida, do outro lado, mulheres engravidam apenas para vender o tecido fetal. 

O aborto é considerado ilegal, os pais não tem o direito de se livrar do feto, mas podem abandoná-los ao nascer em alguma porta ou optar por "doar" seu filho, entre estas idades mencionadas, para ter os orgãos e qualquer parte do corpo fragmentado. A ideia é que ele continue vivo, mas no corpo de outras pessoas. Eu avisei que o enredo era chocante!


Isto é o chamado "aborto retroativo", as pessoas não tem o direito de se livrar da criança antes que ela chegue à idade da razão. Quão louco é este pensamento? Assim como o próprio aborto, a lei de fragmentação não deixa de ser polêmica. Uns são a favor por achar que estão salvando vidas mais merecedoras e outros contra, pois não dão o direito de escolha a estes jovens condenados. 

Deu para perceber quais são os motivos que levam estes três a fugirem para evitar a todo custo este destino? Eles não são considerado bons o suficiente aos olhos de algumas pessoas e, portanto, foi decidido que eles devem ser "divididos". Se a vida de um adolescente normal já não é nada fácil, imagine saber que além de indesejado, decidem que é melhor  ele não viver.

Valores da vida humana e  o direito de escolha pessoal. Quem possui nosso corpo? O governo tem o direito de determinar cuja vida é mais valiosa em detrimento de outra? Nesta história, estes três adolescentes estão determinados a lutar contra o sistema.

O ponto de vista de Lev, que é um dízimo, mostra que a sua religião ensinava que estes nasceram pela vontade de Deus, para serem fragmentados e ajudar os mais necessitados. Ele cresceu se preparando para isto e de repente, descobre que o próprio pastor que pregou este ensinamento à ele, não acredita nesta versão e decide salvá-lo. 

Quanto tempo eles podem continuar fugindo? Até que ponto é preferivel ficar deficiente porque estes tem o "direito" de não serem fragmentados? A parte do livro mais chocante é aquela que mostra o ponto de vista de alguém que foi capturado, que chegou ao fim da linha. É cruel, é como assistir uma execução à pena de morte. Narra as passagens pelo corredor que levam á ela e todos os passos dentro da sala onde ocorre o ritual médico secreto.

Nunca li nada do autor, na verdade, como vocês já perceberam, distopia nem mesmo é meu gênero preferido de leitura. No entanto, ao ver o book trailer e ler esta sinopse, eu fiquei, digamos, com uma curiosidade mórbida a respeito do assunto.



Neal Shusterman criou um enredo surreal e ao mesmo tempo bem possível no mundo em que vivemos hoje. Onde se falam em clones e células tronco, já imaginou você ter problemas em uma parte do seu corpo e ao invés de uma cirurgia ou tratamentos, você simplesmente jogá-la fora e implantar outra no lugar? Em um mundo em que tudo é descartável, isto é absurdo sim, mas não deixa de ter um fundo de verdade. 

Um livro impressionante que trata dos direitos dos adolescentes, do poder do governo, da santidade da vida e da doação de órgãos. Vai fazer você refletir sobre muitas questões e talvez, assim como eu, você vai perder o sono depois da leitura.


Comentários
15 Comentários

15 comentários

  1. Olá
    eu achei mesmo muito rico essa sinopse, só não achava que ele era milionário, kkk, curti muito essa capa e estava precisando voltar aqui pra o Brasil uma Distopia foda, quero muito poder comprar e ler esse livro, e partilhar das mesmas emoções de ficar a cordado para ler o final,
    Bjks

    ResponderExcluir
  2. Ai, que coisa tensa!!! Pelo amor de Deus!! Isso é uma loucura! Imagino que fiquemos o tempo todo em expectativa a respeito do que vai acontecer com os três adolescentes e se vão conseguir salvar-se. No mínimo, ficamos torcendo por eles, né? Embora tb deva ter o lado daqueles que receberão os órgãos para levantar a questão moral a respeito de a lei ser ou não, digamos, "legítima". Confesso que, apesar de evitar livros assim, fiquei bastante curiosa! Se era essa a intenção de sua resenha, parabéns, vc conseguiu! rsrsrsrs....

    ResponderExcluir
  3. Diana, que livro é esse?? Acaba de entrar na minha lista... Já até pesquisei preço e frete... 😁
    Obrigada pela dica!! Bjs

    ResponderExcluir
  4. Pelo que vejo Diana suas horas perdidas de sono foram compensadas com uma história incrível. Aliás, que história. Que apesar de ser uma distopia nos deve fazer refletir um bocado quando se aplicado no nosso dia a dia. Eu achei, pelo pouco que li, que essa história deve ser muito bem trabalhada, não conheço nada do autor mais acredito que ele fez um trabalho bem feito.

    bju flor!

    ResponderExcluir
  5. Diana,esse livro é chocante,adolescentes sendo ,fragmentados,abortados,ou seja mortos ,tendo que lutar ,fujir,para tentar preservar as suas vidas,estória fantástica,valeu perder a noite de sono,até eu perderia para descobrir,o que acontece com Connor,Risa e Lev ,estou ansiosa para começar a ler.Beijos!!!!

    ResponderExcluir
  6. Olá! Sou sua seguidora no face e no instagram. Eu vi esse livro e fiquei com vontade de ler, esse tbm não é meu estilo de livro, mas depois de ler a sua resenha só me deixou com mais vontade de ler.

    ResponderExcluir
  7. Oi, Diana! Estou com esse livro na minha lista de leitura, mas depois de ler a sua resenha, decidi avançar e colocá-lo como uma das minhas próximas leituras. Quando soube do livro, já tinha me interessado, porque amo distopias, mas nunca tinha ido muito a fundo e sua resenha despertou ainda mais meu interesse. O assunto é realmente muito chocante e chega a ser até um pouco polêmico!

    Abraços,
    Lucas Fagundes
    http://claqueteliteraria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Pela bela resenha esse livro é dinamite pura! Esse tipo de leitura não é muito do meu gosto, mas fiquei curiosa por conta da resenha e do trailler, esse já está na minha lista. Parabéns pela resenha Di sua noite sem dormir valeu pena. Bjsss

    Joanice

    ResponderExcluir
  9. Diana, eu fiquei chocada com Fragmentados... essa é a primeira vez que vejo falarem desse livro. e sinceramente eu não tive vontade de Lê-lo.... tive um arrepio na espinha só de pensar nessas coisas, usar tecido fetal para ganhar dinheiro e colher crianças para vender tirar seus orgãos....

    Até mais.
    ♥♥♥ Amantes de Jane Austen ♥♥♥ | Amantes de Jane Austen no FB

    ResponderExcluir
  10. No começo quando a NC estava anunciando que iria lançar esse livro, eu não dava nadinha pra ele. Porém depois de tantas resenhas positivas que eu já li dele, tô mega ansiosa para ler ele. Parece ser o tipo de livro que eu gosto!
    Beijo,
    http://www.pactoliterario.com/

    ResponderExcluir
  11. Oie, tudo bom?
    Gente, que narrativa é essa? Eu adoro distopias e esse livro tem elementos incríveis que o diferenciam do próprio gênero. Vou ler em breve e espero que o livro me impressione como ocorreu contigo.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Li várias resenhas sobre este livro, mas nenhuma como a sua. Confesso que foi a primeira vez que assisti o book trailer e estou assustada até agora. O livro parece ser bem forte e como você disse, é capaz de nos tirar o sono. Vou colocá-lo na minha lista para ler em breve. Beijos, Érika

    >> www.queroseralice.com.br <<

    ResponderExcluir
  13. Oie! Estou muito curiosa para ler esse livro, a premissa parece ser bem diferente de tudo que já li e estou em ansiosa para lê-lo. Gostei muito de como você falou do livro, dá pra ver que te impactou bastante. Adorei.

    Beijos, Gabi
    Reino da Loucura

    ResponderExcluir
  14. Olha eu sinceramente não tive muita vontade de fazer a leitura desse livro, mas eu vou passar para uma das minhas colaboradoras
    e espero que ela goste, porque eu sinceramente não sei se pegaria para ler não. Achei a história inovadora e diferente, mas eu vou ver se leio mais pra frente.

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/08/memorias-literarias-1.html

    ResponderExcluir
  15. Tenho me aventurado bastante na literatura de distopia, e não imaginava que ia gostar tanto. Ainda não li esse livro mas já esta na minha lista, gostei bastante da história, na verdade achei incrível esse negocio de poder replantar membros e etc, claro que isso tem seus pontos positivos e negativos no livro, entretanto e uma história que parece que foi muito bem construída.

    ResponderExcluir

- Seu comentário estará visível depois de aprovado
- Comentários ofensivos e preconceituosos não serão aceitos.
- Não forneço livros em PDF, por favor não comente se for para fazer este tipo de solicitação.

No Instagram

Copyright © 2017 Meu Vício em Livros | Todos os direitos reservados | Design e desenvolvimento: J.A Layouts