Lançamentos

Ver mais...

Resenhas

Ver mais...

Literatura Nacional

Ver mais...

Variedades

Ver mais...

Adaptações

Ver mais...

Leituras do Mês

Ver mais...

[Resenha] O Príncipe dos Canalhas - Loretta Chase @EditoraArqueiro

19.6.15

A única intenção de Jessica Trent é libertar seu irmão imbecil da influência destrutiva de Sebastian Ballister, o notório marquês Dain.
Ela nunca esperava desejar o arrogante e amoral.
E quando a paixão recíproca de Dain os coloca em uma escandalosamente comprometedora cena, Jessica fica sem escolha a não ser buscar a satisfação… Maldita sirigaita para tentá-lo, beijá-lo… e, em seguida, forçá-lo a salvar a sua reputação!
Lord Dain não podia esperar para colocar a pequena lady irritante em seu lugar – e, em alguma posição amorosa, e se isso significava casamento, que assim seja!





Este é o terceiro volume da saga "Scoundrels". Espirituoso, engraçado, romântico e com cenas emocionantes que tocaram profundamente o meu coração. Fazia um bom tempo que eu não lia um romance de época e não poderia ter escolhido melhor.

Sebastian Ballister, o marquês de Dain, é um homem amargurado devido a sua criação e a sua infância. Ao nascer uma criança deselegante, feia, com um nariz grande e fora dos padrões, ele é indesejado e malquisto pelos pais. Ao completar 8 anos de idade, sua mãe foge de casa com outro homem deixando-o com seu pai que o envenena contra ela e o envia para um colégio interno.

O pequeno menino feio aprende a lutar da maneira mais difícil, ele é maltratado e agredido por seus companheiros alunos. Com sua força de espirito para resolver os problemas, não só ganha o respeito deles, mas torna-se um líder no grupo e isso define o cenário para o resto de sua vida.

'Belzebu' (apelido popular de Dain), tem um encontro casual com Jessica Trent em uma loja de antiguidades de Paris e este encontro vira o mundo dele de cabeça para baixo. Ele ainda não sabe, mas ela será a primeira mulher que pode derreter seu coração de gelo. No começo, ele só reconhece a forte atração como luxúria, Jessica não é o tipo de mulher que ele costuma se envolver, ela por sua vez, também fica profundamente atraída por ele. Até então, ela tem vivido de forma independente, sozinha, e é feliz assim.

Jessica Trent chegou a Paris a fim de poder livrar seu irmão do grande e mau Dain, ele idolatra o lorde e ela acredita que isto não seja uma boa influência em sua vida. O encontro na loja e todos os outros que se seguem são extremamente divertidos. A atração entre Dain e Jess é imediata, ele fica impressionado com o seu conhecimento, beleza e intelectualidade e ela com a grande beleza não convencional e escura dele. Lorde Dain tem apenas relações com prostitutas, está acostumado a ter o que quer pagando e sente pela primeira vez que uma mulher olha de maneira diferente para ele, sem repulsa e sem medo.

"Desejava cada coisa terrível que havia nele... e coisas características maravilhosas: o corpo morno e musculoso vibrando com energia, insolência e graça animalesca... os olhos negros atrevidos, às vezes frios como uma rocha e quentes como o fogo do inferno em outras... a voz grave zombando, rindo, gélida pelo desprezo ou provocante pelo desejo."

"Não imagino como a situação possa piorar... Já estou encantado por essa dama provocante, presunçosa, de língua afiada a quem os homens seguem como se fossem cachorrinhos."

Inteligente, determinada e independente Jessica é sexy, desbocada, atrevida e desinibida para época. Os instintos dela fazem com que ela enxergue além da máscara que Dain usa para mostrar ao mundo, sua sensibilidade aguçada, as reservas quanto às mulheres, o nervosismo quando está na casa da família, a amargura que sente em relação á mãe, o retrato do pai severo e o comportamento contraditório da esposa que deixam claro que ele precisa do que todo ser humano precisa: amor.

"Ela sabia que ele sofreria, pois atacara o único lugar onde podia ser ferido: o orgulho. E, se Dain não suportasse - e, claro não suportaria, ela sabia - , Jéssica ficaria satisfeita, sem dúvida. Ela o faria rastejar."

"Meu, pensava ela, enquanto os músculos se contraiam e distendiam sob seu toque. E meu, jurou ela, ao deslizar as mãos sobre aquele peito largo e rijo. Jessica o teria e o guardaria para si, mesmo que isso a matasse. Dain podia ser um monstro, mas era seu monstro."

"Seu marido estava transformando uma simples atração física em algo muito mais complicado. E, se ela não tomasse cuidado, poderia cometer o erro fatal de amá-lo."

O enredo gira em torno de um ícone russo valioso e a obsessão da sociedade de Paris pelos encontros entre o grandalhão feioso e a bela inglesinha. Há apostas e até bailes incentivando-os a se encontrarem em um mesmo local e é neste meio que, após um escândalo, Jessica se vê comprometida em um arranjo de casamento com Dain a fim de salvar sua reputação.

E é aí que um dos maiores depravados de toda a Europa é fisgado pela solteirona virgem...

Sua infância foi tão devastadora que eu quase chorei, no entanto, ele persistiu até o fim. A coisa que ele mais teme, além da esposa sentir pena dele, é que ela o abandone e esta cena foi uma das cenas mais lindas do livro. A questão que me incomodou um pouco sobre ele foi: Como pode um homem que sofreu tanto quando criança, sendo chamado de hediondo, cria do diabo e etc, tratar seu próprio filho da mesma maneira que foi tratado? Como podia olhar para o rosto do filho com repulsa quando ele sabia perfeitamente como é sentir o mesmo olhar? Dain não agiu melhor do que seu próprio pai, entretanto, de uma hora para outra ele repensa o que está fazendo de errado e resolve agir corretamente.

Dain consegue entender por que seu pai e sua mãe o haviam rejeitado quando criança e claro que Jessica foi fundamental neste processo de aceitação de si mesmo. Jessica desde o começo do relacionamento está determinada a amar Dain e obter o amor de seu marido em troca. Os diálogos entre eles são ao mesmo tempo sarcásticos e sensuais. E as falas italianas de Dain ... OMG! Um dos melhores romances que eu já li.
"Minha, pensou ele. Ela era leve e formosa e suas curvas perfeitas... e ela era dele. Sua esposa, devassando-o com aquela boca inocentemente lasciva, segurando-se nele com uma possessividade inebriante. Como se ela o quisesse, como se ela sentisse o que ele sentia, a mesma necessidade irracional e urgente."

Eu amei Dain desde o início, mesmo quando ele era um libertino sem esperança. Vendo sua relutância em ir para a cama com a então marquesa Jessica, pois não se sentia digno e lutando contra seus sentimentos por ela foi maravilhoso. No mesmo capítulo a autora inclui os pontos de vista do casal e é até engraçado ver como ele entende as atitudes de Jessica de modo errado. Enquanto acha que o que fala ou faz é odioso, ela, por outro lado, está encantada com o homem viril com quem se casou. Jéssica cai de amores por Dain quase que imediatamente, mas não deixa que ele passe por cima dela.

Eu gostaria que o livro fosse mais longo, faltou um epílogo também e, além disso, eu preferia que o personagem fosse chamado de Sebastian no enredo e não de Lorde Dain, pois eu amo este nome nos mocinhos. Enfim, Dain não é um mocinho convencional e nada disto me tirou o prazer da leitura. Este é o primeiro livro que leio da Loretta Chase e vou torcer muito para que a editora traga todos os livros dela para o Brasil. 

Onde Comprar: Saraiva 


Comentários
5 Comentários

5 comentários

  1. Olá
    adorei ver a resenha desse livro, estou muito curioso pra ler esse livro, nunca li nada do genero e achei bem legal a proposta desse dai,
    P.S. fiquei com saudade dos Quoats rsrs
    Bjks

    ResponderExcluir
  2. Adoro esse tipo de história, apesar de que, como você, não ler romance de época há muito. Fiquei com muita vontade de ler por isso e por sua resenha, que deu a impressão de ser um livro gostoso e divertido de ler! Vou conferir.

    ResponderExcluir
  3. Diana,os personagens parecem ser bem diferentes dos outros romances históricos digo em conduta e principalmente psicologicamente falando,talvez confira .Beijos!!!

    ResponderExcluir
  4. Ai mana esse livro veio com objetivo de mostrar que o amor construído as duras penas pode ser o melhor tipo de amor, eu comecei a ler esse livro e também fiquei muito triste quando li as cenas da infância dele e o desprezo do pai em relação ao próprio filho senti um aperto no coração e as melhores cenas também veio da persistência da Jessica porque mana ela tinha muita paciência com esse homem ohh Adorei essa resenha.

    ResponderExcluir
  5. Tenho ouvido fala muito, mas muito mesmo nesse livro, acho que foi feito um bom marketing. Estou bem curiosa para ler, os comentários têm sido bem positivos. A capa está muito linda, gostei bastante! E lá vem mais um mocinho Sebastian, kkkkk.

    ResponderExcluir

- Seu comentário estará visível depois de aprovado
- Comentários ofensivos e preconceituosos não serão aceitos.
- Não forneço livros em PDF, por favor não comente se for para fazer este tipo de solicitação.

No Instagram

Copyright © 2017 Meu Vício em Livros | Todos os direitos reservados | Design e desenvolvimento: J.A Layouts